top of page

Abu Simbel, o templo do Egito que mudou de lugar.

Abu Simbel ficou coberto de areia até 1813, quando foi redescoberto pelo explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt, que encontrou o topo das cabeças de suas gigantescas estátuas. Em 1909 iniciaram-se as escavações que viriam a revelar os templos por completo.

O grandioso templo egípcio redescoberto e salvo das águas


Majestosamente postado às margens do Lago Nasser, os magníficos templos de Abu

Simbel constituem uma preciosidade da arquitetura do antigo Egito. Mas você sabia que a construção não permanece em sua localização original?


O Faraó Ramsés II ordenou a construção dos templos de Abu Simbel para reverenciar os deuses Amon, Ptah e Re-Harakty, além de exaltar seu próprio reinado.


Além disso, também foram dedicados à sua esposa preferida, Nefertari. Foram necessários cerca de 20 anos para que o complexo religioso decorado com estátuas colossais do faraó fosse erguido.


No curso do tempo e da história, Abu Simbel ficou esquecido, coberto de areia, até ser novamente apresentado ao mundo em 1813, quando o explorador suíço Johann Ludwig Burckhardt encontrou o topo das cabeças de suas gigantescas estátuas.


Mas apenas em 1909 iniciaram-se as escavações que viriam a revelar os templos por completo, com suas impressionantes fachadas e interiores.


A façanha moderna que salvou Abu Simbel


Nos anos 1950, o governo egípcio planejava construir uma grande represa em Aswan para geração de energia. Porém, a área a ser alagada incluía Abu Simbel. Logo, o projeto energético colocava em risco o patrimônio recém-revelado.


Nos anos seguintes, uma obra extraordinária de engenharia deslocou todo o complexo de seu local original, salvando os tesouros de Abu Simbel.


Com a fenomenal operação de realocação, temos o privilégio de hoje encontrar Abu Simbel da forma como foi concebido. O templo maior conta com quatro enormes estátuas de 20 metros do faraó Ramsés e seu interior apresenta diversas salas decoradas com hieróglifos, estátuas da família real e representações de batalhas.


Já o templo menor foi construído para homenagear Nefertari, esposa de Ramsés II. A rainha aparece representada em igual proeminência ao faraó, denotando sua importância e influência.


O alinhamento solar dos templos


Os templos foram projetados com exato alinhamento ao nascer do sol. Duas vezes

ao ano, nas datas correspondentes ao aniversário e à coroação de Ramsés II, os raios iluminam o interior da edificação até a estátua do faraó e dos deuses reverenciados.


O mais incrível é que essa meticulosa sincronização solar foi reproduzida na nova morada de Abu Simbel, conservando assim, um planejamento idealizado há mais de 3 mil anos.


O resgate dos templos para salvá-los da inundação foi um exemplo notável de cooperação entre nações. Atendendo ao apelo da UNESCO, dezenas de países contribuíram com recursos e conhecimento para essa extraordinária obra de engenharia.


Especialistas de várias nacionalidades trabalharam unidos pelo objetivo comum de preservar esse patrimônio mundial.


Um esforço internacional que lembra a grandiosidade do antigo Egito e a potência do próprio ser humano. Assim, Abu Simbel continua deslumbrando o mundo como símbolo de um passado grandioso e trabalho conjunto entre povos.

Conheça esse e outros destinos com a Domundo!


Somos uma operadora de turismo alicerçada em uma sólida rede de parcerias construída ao longo de décadas de relacionamento profissional com instituições e profissionais reconhecidos.


Nossas viagens em grupo com guia brasileiro têm acompanhamento de especialistas de alto nível, consagrados no mercado. Cuidado que garante qualidade e faz toda a diferença.


155 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page